CLAUDIA DIAS

COACH PARA DESENVOLVIMENTO PESSOAL E AUTOCONHECIMENTO

Procrastinador ou preguiçoso: o que é e como parar de procrastinar

Algumas pessoas podem achar que procrastinar e estar com preguiça é a mesma coisa, mas não é. Um preguiçoso é aquele que não tem vontade de fazer nada. Ele tem preguiça de estudar, de trabalhar e até de levantar da cama. Quem nunca, né?

Acontece que procrastinar, não é o mesmo que estar com preguiça, mas sentir a necessidade de evitar determinada tarefa.

 

Para evitar fazer aquilo, a pessoa substitui o que se propôs a fazer por outra tarefa que permita com que ela se sinta mais confortável. Um exemplo é alguém que está em processo de aprendizado de um novo idioma.

Certo dia a pessoa recebe a tarefa de assistir a um vídeo completo nessa outra língua para treinar a audição, mas isso a aborrece tanto que ela evita fazê-lo a todo custo. Em vez disso, ela decide arrumar o guarda-roupa que está bagunçado.

Percebe? Não se trata de querer ficar à toa. Pode até ser que arrumar o guarda-roupa dê muito mais trabalho do que assistir ao vídeo, mas se para essa pessoa aprender um novo idioma parecer algo difícil e até amedrontador, a tendência é que ela se proponha a fazer tudo, menos aquilo.

Afinal, o que é procrastinar?

Procrastinar é adiar, é deixar para depois o que deveria ser feito já. Segundo a psicóloga Ellen Hendriksen, procrastinar é uma das inúmeras formas de autossabotagem, afinal, quem se sabota por vezes se vê como uma fraude e por isso se sente incapaz de realizar alguma tarefa ou de concretizar determinado objetivo.

O curioso é que quem procrastina tem consciência de que está de fato evitando fazer determinada coisa e que isso a deixará mal depois. Mesmo assim a faz. E por quê?

Segundo um estudo de 2013, a procrastinação é um meio que o nosso cérebro encontra de lutar contra o humor negativo que surge quando temos que fazer algo ao qual sentimos aversão. No final das contas, a gente procrastina para poder se sentir bem a curto prazo.

E é realmente a curto prazo, porque ao final do dia a tendência é se culpar por não ter feito o que deveria. É aí que a frustração começa a tomar conta.

Por que as pessoas procrastinam?

A procrastinação pode surgir por diferentes motivos. Pode ser pelo simples fato de não gostar de fazer algo ou até por sentir medo, insegurança ou incapacidade de fazer aquilo.

Nosso cérebro está sempre em busca do prazer imediato. Quando ele percebe que determinada tarefa pode ameaçar o nosso bem-estar, ele age para remover essa ameaça.

Por isso, mesmo que você esteja consciente de que não deve procrastinar e tenha clareza de que depois isso vai lhe fazer mal, seu cérebro continuará com o objetivo de acabar com essa ameaça. De certa forma, lutar com seu próprio cérebro é remar contra a maré.

Como parar de procrastinar

Se você reconhece que tem o hábito de procrastinar, então é preciso buscar formas de deixar de fazê-lo.

Já sabemos que, para seu cérebro, evitar fazer determinada tarefa é a melhor solução para preservar você de possíveis danos. Nesse caso, uma das coisas que você pode fazer é encontrar uma recompensa que seja melhor do que simplesmente procrastinar, conforme aponta o psiquiatra e neurocientista Judson Brewer.

A seguir, eu destaco quatro opções de ações que podem substituir a necessidade do seu cérebro de evitar determinadas tarefas, conforme citado nesta matéria do The New York Times. Você pode começar focando em apenas uma; se em um futuro breve puder colocar todas em prática, ótimo, porque em conjunto o resultado será ainda melhor.

1 – Perdoe a si mesmo

Ao perdoar a si mesmo por procrastinar você se permitirá recomeçar, tentar de novo. Quando você não faz isso e, ao contrário, fica se atormentando porque as coisas não fluíram da forma como gostaria, isso o afasta ainda mais de uma solução.

2 – Tenha autocompaixão

Aceite que na vida muitas vezes vamos errar e até fracassar em algumas áreas. Evite ficar o tempo todo se repreendendo. Muitas vezes nos cobramos excessivamente e isso, ao invés de ajudar, acaba piorando a situação. É importante ir com calma, ser compreensivo e ter compaixão por você mesmo.

3 – Foque apenas na próxima ação

Ok, vamos imaginar que você está prestes a procrastinar. Nesse momento, você está desanimado e não sente a menor vontade de começar a ler determinado artigo, por exemplo. Mas essa leitura é importante e você sabe que não deve adiá-la.

Então, ao invés de focar em ler todo o artigo de uma vez, tente focar em algo menor, mais simples, como por exemplo sentar em frente ao computador, abrir o artigo e ler a introdução. Apenas isso.

De acordo com o psicólogo Tim Pychyl, “a motivação segue a ação”. Isso significa que você não precisa necessariamente estar motivado para só então agir. Você pode começar agindo, mesmo sem muita vontade. O que acontece depois é que a gente tende a se empolgar, a se sentir motivado a continuar. Sem perceber, você segue adiante e quando se dá conta já leu metade ou até o artigo inteiro.

4 – Faça de tudo para remover os obstáculos

É fato que seu cérebro fará de tudo para remover ameaças, para acabar com os obstáculos que comprometem o seu bem-estar, e não tem muito o que fazer em relação a isso. Por outro lado, você pode agir para tentar remover esses obstáculos.

Se sua meta é acordar às 6h todos os dias, mas sempre acaba deixando para se levantar apenas às 10h, então comece por buscar formas de tornar essa meta uma realidade a curto prazo.

Você pode, por exemplo, começar a dormir mais cedo. Isso implica, também, em jantar mais cedo e optar por alimentos leves, caso contrário terá dificuldade para dormir e, consequentemente, para acordar cedo. Também implica em desligar televisão, computador e celular um bom tempo antes de dormir.

Outra opção é acabar com as tentações que levam você a procrastinar, como por exemplo passar horas nas redes sociais. Você pode silenciar as notificações de alguns aplicativos, desativar a internet do celular enquanto não estiver precisando dele e até excluir alguns aplicativos.

Eu sei, para algumas pessoas isso pode ser uma medida drástica demais, mas é importante refletir sobre o que realmente importa. É preciso saber discernir entre as ferramentas que ajudam e as que atrapalham e fazem você perder o foco — e isso é algo que só você pode fazer por si.

Para além dessas quatro ações eu sugiro mais uma:

5 – Busque ajuda

É possível colocar tudo isso em prática sozinho e eu encorajo você a isso. Mas, pela minha experiência como coach pessoal há mais de 10 anos, sei que isso faz parte de um processo que não é assim tão fácil de colocar em prática sem a ajuda de um profissional.

Como coach, eu posso te ajudar a modificar esse padrão de comportamento de procrastinar. Para saber mais, entre em contato comigo pelo Whatsapp (11) 96621-9683 ou pelo e-mail contato@claudiacoach.com.br.

Espero que este texto tenha sido útil para você. Ficarei grata com seu comentário aqui embaixo!

 

Outros artigos que também podem lhe interessar:

O que é resiliência e quais as características de uma pessoa resiliente

Habilidades o que são e quais tipos

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Quer receber mais informações?
Cadastre seu e-mail abaixo!

Acesse nosso formulário de contato e se cadastre em nossa comunidade de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal.

últimos posts

Desenvolvimento pessoal: como e por que buscá-lo

Como o otimismo pode ajudar a lidar com o fracasso

Recomeçar a vida: às vezes é preciso desconstruir para reconstruir

O que é e qual a importância do autoconhecimento

Como você enxerga o mundo?

Coach Pessoal, Palestrante Motivacional, Treinadora Comportamental

TELEFONE / WHATSAPP

+55 (11) 9 6621-9683