CLAUDIA DIAS

COACH PARA DESENVOLVIMENTO PESSOAL E AUTOCONHECIMENTO

O que é resiliência e quais as características de uma pessoa resiliente

Você pode não saber exatamente o significado de resiliência, mas certamente já ouviu falar nesse termo, certo? Ao buscar em um dicionário, você irá se deparar com dois significados diferentes. Seguindo a definição do dicionário Michaelis, resiliência é:

– Elasticidade que faz com que certos corpos deformados voltem à sua forma original.

– Capacidade de rápida adaptação ou recuperação.

Afinal, o que elasticidade tem a ver com capacidade de adaptação ou recuperação? O que é resiliência?  É possível estar sempre resiliente? Quais são as características de uma pessoa resiliente? Confira a seguir as respostas para essas questões.

O termo resiliência tem origem nas áreas da física e da engenharia. O britânico Thomas Young (1773 – 1829) chamou de “resiliência” a capacidade de um material de resistir a determinada carga de impacto.

Para ficar mais fácil de compreender, pense num elástico. Você pode esticá-lo, mas depois, quando soltá-lo, ele voltará ao estado normal, certo? Na física, a resiliência trata dessa capacidade que certos materiais têm de voltar ao estado inicial após terem sido submetidos a uma tensão inicial.

Com o passar dos anos, esse termo deixou de ser utilizado apenas na física e engenharia e passou a fazer parte do campo das ciências humanas. Quando tratamos da resiliência na vida das pessoas, porém, falamos sobre a capacidade de um indivíduo de superar dificuldades, não de voltar ao estado inicial.

Ou seja, não é que uma empresária, por exemplo, vai passar por uma experiência de ir à falência e depois disso sua vida voltará a ser como era antes de falir — um elástico pode passar por um processo de tensão e voltar ao normal, mas, quando falamos de humanos, a situação é diferente.

O que é resiliência?

Agir com resiliência em meio a uma situação de falência é o mesmo que passar por todas as dificuldades e então superá-las. É todo um processo. E mais um detalhe: superar não significa esquecer.

No futuro, a pessoa vai se recordar da situação, mas, como já se trata de algo que foi superado, ela não irá reviver todo aquele sofrimento como se fosse algo que tivesse acabado de ocorrer.

E depois de passar por tudo isso, será que a pessoa volta a ser o que era antes? Não. Ao agir com resiliência, é mais provável que a pessoa saia dessa situação muito mais fortalecida.

Quando se fala em resiliência, portanto, a chave está na superação, na capacidade de encarar as adversidades e seguir em frente.

 

 

Depois desse exemplo, deu para perceber que aplicar à realidade humana um conceito que surgiu na física não é assim tão fácil, certo? É que quando se trata de humanos, há muitas variáveis — tanto é que uma médica pediatra dos Estados Unidos, num estudo sobre resiliência na adolescência, afirma que é mais fácil dizer o que não é resiliência do que o que de fato é.

Apesar do consenso de que resiliência se trata da capacidade de superar as dificuldades da vida, esse termo é complexo e pode ser conceitualizado de diferentes maneiras na literatura acadêmica.

Pesquisas indicaram que…

Os pesquisadores Nina Taboada, Eduardo Legal e Nivaldo Machado fizeram uma investigação para descobrir quais as principais definições desse termo.

Segundo o estudo, há desde pesquisadores que compartilham a visão de que a resiliência pode ser tanto considerada um traço de personalidade, quanto  uma capacidade que acompanha o indivíduo ao longo de sua vida, até aqueles que a consideram como uma habilidade que pode ser adquirida — ou seja, a pessoa pode não a ter, mas passar a ter.

Ainda de acordo com os pesquisadores citados acima, apesar da falta de consenso, a maioria dos estudiosos veem a resiliência como uma habilidade que se manifesta em determinados momentos, não como uma atitude permanente, como sendo parte da personalidade.

Ou seja, para começo de conversa, não se trata de ser resiliente, mas de estar. Continuando com o exemplo da empresária que foi à falência, o fato de ela lidar com essa situação de forma resiliente não significa que ela agirá do mesmo modo nas demais situações de adversidade.

As pesquisadoras Maria de Fátima Pinheiro da Silva Junqueira e Suely Ferreira Deslandes afirmam, em um estudo sobre resiliência na área da saúde, que “não podemos falar de indivíduos resilientes, mas de uma capacidade do sujeito de, em determinados momentos e de acordo com as circunstâncias, lidar com a adversidade, não sucumbindo a ela. Assim, o aspecto de ‘superação’ de eventos potencialmente estressores, apontado em algumas definições de resiliência, deve também ser relativizado em função do indivíduo e do contexto”.

 

Em outras palavras, se uma pessoa irá enfrentar determinada situação com resiliência ou não, isso vai depender da própria pessoa e do contexto ao qual ela está inserida.

 

Quais são as características de uma pessoa resiliente?

Há algumas características típicas de um comportamento resiliente — se elas ainda não fazem parte de sua vida, a boa notícia é que você pode trabalhar para adquiri-las. Confira estas 10 características típicas das pessoas resilientes.

Otimismo

Por maior que seja o problema, sempre é possível extrair algum aprendizado. Pensar apenas nos problemas e nas coisas ruins que acontecem no mundo tendem a deixar a pessoa num estado de desânimo. Não se trata de fingir que nada de mal está passando, mas de olhar também para as coisas boas que existem.

Senso de humor

Falar sobre senso de humor é falar também sobre leveza, sobre se permitir, sobre deixar o riso fluir. A forma como você enxerga a vida impacta diretamente na sua capacidade de ter senso de humor.

Criatividade : A criatividade é uma aliada na hora de pensar em formas diferentes para se chegar a uma solução para determinado problema. Estar atento ao novo e estar disposto a arriscar são alguns dos elementos da criatividade.

Flexibilidade

Como você age quando algo não sai como esperado? Fica emburrado e passa o dia reclamando ou busca uma alternativa? Uma pessoa flexível sabe reconhecer que as coisas nem sempre vão acontecer da forma como gostaria e, por isso, está sempre disposta a reprogramar a rota quando necessário.

Iniciativa

Quando alguém precisa de ajuda você se oferece ou espera a pessoa pedir? Você costuma tomar a frente das situações ou está sempre atrás, disponível para agir apenas quando for solicitado? Iniciativa e resiliência têm tudo a ver porque para superar obstáculos é preciso tomar as rédeas da situação. Resiliência é algo individual, ou seja, cabe a você tomar — ou não — a iniciativa de agir de modo resiliente.

Propósitos

Sabe quando você acorda questionando tudo?  Quando suas ações são baseadas em propósitos bem definidos, essas questões podem ser facilmente respondidas. Desse modo, tudo ganha uma finalidade, um porquê; você deixa de estar à deriva e passa a fazer o que faz de modo consciente.

Alto nível de autoestima e autoconhecimento

Autoestima se refere ao valor que a pessoa dá a si própria e autoconhecimento é o processo de se conhecer. Uma baixa autoestima pode levar a pessoa a sentir-se inferior, dificultando o processo de superar as dificuldades. Por outro lado, o autoconhecimento permite que a pessoa tenha mais clareza sobre quem é e onde quer chegar.

Empatia

Enquanto o autoconhecimento é sobre olhar para dentro de si, a empatia trata do olhar para o outro, sobre a capacidade de se colocar no lugar do outro. Como diria a escritora Clarice Lispector, antes de julgar a vida de alguém é preciso percorrer todo o caminho que essa pessoa percorreu.[arte com frase da Clarice Lispector: Antes de julgar a minha vida ou o meu caráter… calce os meus sapatos e percorra o caminho que eu percorri, viva as minhas tristezas, as minhas dúvidas e as minhas alegrias. Percorra os anos que eu percorri, tropece onde eu tropecei e levante-se assim como eu fiz. E então, só aí poderás julgar. Cada um tem a sua própria história. Não compare a sua vida com a dos outros. Você não sabe como foi o caminho que eles tiveram que trilhar na vida”]

Habilidade de tomar decisões

Desde o momento em que você acorda até a hora de dormir é preciso tomar decisões. Aliás, levantar ou não da cama já é uma decisão a ser tomada. Claro que algumas decisões são mais difíceis que outras, mas essa é uma habilidade importante para agir com resiliência, afinal, mediante uma situação de conflito é preciso ter a capacidade de tomar decisões importantes.

Paciência

Ter paciência é saber suportar as intempéries e as demoras da vida com calma, sem perder a tranquilidade. Nem tudo ocorre no tempo que queremos; para as demoras da vida, às vezes o melhor remédio é ter paciência. O contrário disso só dificultará suas possibilidades de encontrar uma alternativa para aquilo que precisa.

Como agir com resiliência?

Começar a colocar as características acima em prática é um bom caminho. Fazer isso sozinho, no entanto, pode tornar o processo mais difícil. Por isso é importante se cercar de pessoas que possam ser um exemplo para você.

E eu também posso ajudar. Como coach, eu ajudo as pessoas a compreenderem melhor a si mesmas e a redefinir seus objetivos conforme seus valores e propósito de vida. A dificuldade em agir com resiliência muitas vezes está ligada a um padrão de comportamento que a pessoa adquire com o passar dos anos.

Por mais que a pessoa tente, ela muitas vezes tem dificuldade em colocar em prática algumas características da resiliência, como por exemplo a capacidade de tomar iniciativa, o otimismo e a habilidade de tomar decisões.

Quer saber como o coaching pode lhe ajudar? Entre em contato comigo pelo Whatsapp (11) 96621-9683. E se esse conteúdo foi útil para você, deixe seu comentário abaixo!

Outros artigos que também podem lhe interessar:

 

O que é Inteligência Emocional?

Coaching para o autoconhecimento e inteligência emocional

Autoavaliação é a melhor forma de começar seu processo de autoconhecimento

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Quer receber mais informações?
Cadastre seu e-mail abaixo!

Acesse nosso formulário de contato e se cadastre em nossa comunidade de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal.

últimos posts

Desenvolvimento pessoal: como e por que buscá-lo

Como o otimismo pode ajudar a lidar com o fracasso

Recomeçar a vida: às vezes é preciso desconstruir para reconstruir

O que é e qual a importância do autoconhecimento

Como você enxerga o mundo?

Coach Pessoal, Palestrante Motivacional, Treinadora Comportamental

TELEFONE / WHATSAPP

+55 (11) 9 6621-9683